A CARLUDOVICA É DE TIRAR O CHAPÉU

Por Gustaaf Winters

Por Gustaaf Winters

-Carludovica? Quem deu esse nome pra você?

-Foram dois botânicos espanhóis: Hipólito Ruiz Lopes e Antonio Pavon Jiménes. Acharam-me no Chile, no Peru....no

 Equador e me batizaram assim. Embora tenha gente que afirma que minha origem é mais da América Central.

- Carludovica parece nome de mulher.....

- Tem um pouco a ver sim...O nome foi dado pelos botânicos em homenagem a Carlos IV da Espanha e  de sua

    Esposa, Maria Luísa, alatinado, Ludovica.

- E palmata? De onde vem esse sobrenome?

- É que pareço muito com uma palmeira:  que tem as folhas plicadas, em leque.

- Mas você não é uma Palmeira?

- Enganei você também, né? Não é o primeiro, relaxa! Sou uma Cyclanthaceae , com 12 gêneros e umas 200 espécies

- Eita! Morro e não vou conseguir entender essa complicada Botânica.

- E olha ! No Brasil, moram uns seis parentes meus (metade da família) e umas 30 espécies, das 200 existentes.

- Tem alguma que a gente conhece?

- Talvez a mais popular seja a Cyclanthus bipartitus: aquela que parece um remo rachado em “V” na ponta.

- Essa eu já vi em alguns jardins, sempre na sombra. E o resto dos nativos?

- Pois é! Quando a gente nasceu, alguém falou “vai pela sombra”. Por isso nos escondemos na sombra da Amazônia,

  alguns na Mata Atlântica e até na Restinga.

- “Vai pela sombra” é boa!..., me fala mais. 

- Quer saber mais? Faço a cabeça de muitas pessoas.

- A vá? Possui algum alucinógeno?

- Não “véi”, longe disso! Do talo de minhas folhas é que se tiram as fibras pra fazer o “Chapéu do Panamá”

- Put are keep are you!!!!!! Verdade?

- No YouTube  tem vídeos sobre mim... Vai nesse: https://www.facebook.com/nabille.bouaziz/videos/10207630689238675/

- Entrei lá.. av!!!!Vi também que muita gente famosa usa e usou o tal Chapéu do Panamá. Tom Jobim, Churchil, Lady Dy e

   até o Van Gogh naquele seu famoso auto retrato.  Mas, parece que ficou famoso mesmo quando o Presidente Roosevelt

   visitou as obras do canal usando o tal chapéu., no início dos anos 1900.

- Mas.... peraê! Ví que esse chapéu é feito no Perú, no Chile e principalmente em Cuencas e Monte Cristo no Equador.

- Não só lá. Também já foi confeccionado no Jardim Botânico do Rio. Era chamada de “Fabrica de Chapéus do Chile”.

- Curioso...”Chapéu do Chile”....do Equador.....Perú... e o que o Panamá tem a ver com isso?

-Aí é que está a outra parte de História. Esses chapéus foram muito usados quando da construção do Canal do Panamá.

- É isso? Até então nem o Panamá sabia que ela tinha um chapéu com o seu nome?

- Não só o Panamá, né? Cabeção! Nem você sabia! Também viro bolsas (no bom sentido), cigarreiras, tapetes, cortinas.....

- Agora entendi! Ainda bem que não sou o único “cabeção”! Muita gente vai ficar sabendo agora.

- Ó! É assim...Os artesãos cortam minhas folhas, aproveitando somente o pecíolo (o “talo”). Aí eles me picam em tirinhas longitudinais bem finas. São fervidas em água bem quente, descoloridas no sumo do limão para depois serem secadas, dando origem a fibras de muita resistência e longa duração. Um chapéu de primeira não pesa mais do que 90 gramas.

Plantas Interessantes

Lançamentos, curiosidades que você também poderá receber por nossos News letter.

 

Cadastre seu E-mail

Voce vai receber nossas notícias sobre cursos e informaçoes interessantes sobre plantas.

Digite o Resultado da soma: 1+2